Supervisor técnico, Mancini fala sobre bastidores da base

Postado em: 27/09/2014 às 13:31 - Modificado em 27/09/2014 às 13:46


As categorias de base do Tigrão já disputaram 19 partidas no segundo semestre do ano. São 17 vitórias e dois empates. A boa campanha em campo é reflexo do trabalho desenvolvido nos bastidores. Há pouco mais de dois meses, todas as comissões técnicas foram alteradas e agora são preparadas para um novo e único desafio: formar atletas de ponta. Com experiência adquirida na Europa, Rogério Mancini é um dos reforços que auxilia o dia-a-dia do Tigre.

Foi através de um anúncio no Instagram (@vilanovafc1943) que Mancini soube da oportunidade. Na ocasião, o clube divulgou uma seleção de estagiários para compor o staff da base, mas encontrou nele algo além. Atualmente como supervisor técnico, o profissional atua organizando relatório de treinos, filmagens e até mesmo testes fisiológicos.

Tática x técnica
Pós-graduado em treinamento e fisiologia do exercício, Mancini já trabalhou na seleção do Catar, futebol italiano e japonês. Tanta experiência o faz afirmar que “a qualidade técnica dos atletas brasileiros é insuperável”.

omanciniO problema, segundo ele, é que os europeus investiram muitos anos em alternativas, como o trabalho tático. “Nesse caso, temos a força contra a inteligência. O que precisamos fazer é adotar esta cultura de trabalhar mais o futebol, ao invés de contar apenas com talento”, argumentou.

Mancini explica que toda comissão da base colorada está realmente focada na adoção de novas técnicas de treinamento. “Os treinadores estão aceitando bem a proposta e essa nova cultura, aos poucos, vai se desenvolvendo”.

Na prática, não se trata de uma atividade complexa. Segundo Mancini, a filosofia aplicada se baseia em ter uma única linha de treinamento. “Que o jogador do sub-15 comece a treinar tudo o que se treina nas outras categorias e no profissional. Campo reduzido, com aplicação tática mínima. Só assim ele vai chegar ao profissional preparado para qualquer desafio. Todas as possibilidades de atuação de um atleta precisam ser exploradas na base”, justificou.

Programa de estágio
O grupo de estagiários selecionados pelo Vila Nova acompanha todos os treinamentos, faz relatórios, anotação de dados durante as partidas e produção de imagens. Essa ideia inovadora, na visão de Mancini, é excelente e promove benefício bilateral.

timereunido“Acho que esse grupo está dando um apoio legal para a base. Cada comissão técnica passou a contar com quatro ou cinco pessoas envolvidas, e hoje em dia não é qualquer clube que tem isso. Além do mais, esses estudantes têm a oportunidade de aprender na prática”, argumentou.

Sobre a qualidade das equipes, Mancini disse que “o Vila tem jogadores bons, com excelentes características. É um clube que depende da base, por isso todo investimento nesses garotos é essencial e indispensável”.

As equipes sub-13, 15 e 20 disputam a Copa Goiás, enquanto a sub-17 compete a Taça Mané Garrincha. Atualmente, estão invictos e entre os primeiros colocados.